Carta do grupo de Direitos Humanos.

Caros Companheiros Carta do grupo de Direitos HUmanos (Coletivo Conta a Tortura)sobre a reportagem da revista FORUM de 02/2008.

Caros Companheiros Carta do grupo de Direitos HUmanos (Coletivo Conta a Tortura)sobre a reportagem da revista FORUM de 02/2008.

À jornalista Brunna Rosa Revista FORUM Cara jornalista Li na última edição da revista FORUM (março /2008) a reportagem sobre “A história do Comandante Ramiro”, ou seja, sobre o chileno Mauricio Hernandez Norambuena, que participou de uma ação política: o seqüestro do publicitário Washington Olivetto, em dezembro de 2001 na cidade de São Paulo.

Inicialmente parabenizo a lucidez e a coragem da revista e da jornalista em abordar o assunto em questão, matéria rejeitada pela mídia brasileira oportunista, burguesa e hipócrita, inclusive pelos jornais impressos e eletrônicos alternativos.

Gostaria de abordar o assunto, comentando algumas questões mencionadas na reportagem:

1 – Mauricio Norambuena já “circulou” por vários presídios no Estado de São Paulo e ultimamente está preso em Catanduvas, presídio federal no Paraná. O regime sempre foi o mesmo, o RDD – Regime Disciplinar Diferenciado, punindo o condenado a ficar isolado permanentemente, sem direito a contato com outros detentos e recebendo muito raramente visitas de parentes. Segundo vários estudos técnicos de médicos e de psicólogos, esse regime é na verdade discriminatório, ilegal e danoso para a saúde humana. Segundo o I Seminário Internacional sobre a Tortura realizado no período de 25 a 27 de fevereiro, na USP, e patrocinado pelo NEV-USP, o regime do RDD é a prática da tortura pelo Estado. E o Estado brasileiro, hoje governado por muitos ex-presos políticos, se faz de cego e surdo, abordando o assunto da tortura parcialmente e sempre nos bastidores. Enquanto isso, os familiares de Maurício Norambuena afirmam que o seu estado de saúde é grave.

2 – Não é verdade que todos os demais participantes do seqüestro estão cumprindo a pena em seus países de origem. Pelo contrário, a maioria dos condenados continuam presos em diferentes presídios do Estado de São Paulo, sem o direito a benefícios jurídicos previstos na Lei de Execuções Penais (regime semi-aberto) e longe de suas famílias.

3 – Complementando o relato da jornalista, é preciso dizer que a condenação á 16 anos, na primeira instância, em sentença proferida pela juíza Kenarik Felippe, conhecida por sua posição favorável aos direitos humanos, reconheceu a "motivação política" do ato.

No julgamento da segunda instância esse elemento foi arbitráriamente deixado de lado.

Marco A Santos – CCT Coletivo Contra Tortura SP 14/03/2008

Coletivo Conta a Tortura

Penal de mxima seguridad de Porto Velho

Escriba a Mauricio:
Mauricio Hernndez Norambuena
Penitenciria Federal de Mossor - RN
Rodovia RN15, Km12, Estrada MOssor-Baraunas
CEP 59600-970 Mossor - RN
Brasil

Comits Patriticos por Mauricio Norambuena
5740 días de regimen
carcelario inhumano.

Solidariza con Mauricio con una donación. Si estás en Chile, deposite dinero a la cuenta N° 2721374-00 (Banco Scotiabank) a nombre de Laura Hernández (rut N° 8329187-7). Si estás afuera de Chile, pulse aquí